NOTÍCIAS

Abertura da exposição “Hĩ ea miyuishuki: a madeira me contou” movimenta Casa dos Povos Indígenas em Rio Branco-AC

          No último sábado, 04 de agosto, a Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (AMAAIAC) realizou a abertura da exposição “Hĩ ea miyuishuki: a madeira me contou” na Casa dos Povos Indígenas, em Rio Branco-AC. O espaço ficou lotado e nas primeiras horas recebeu cerca de 200 pessoas para prestigiar o evento.

         O público presente pôde conferir 40 obras produzidas no âmbito do projeto “Artes e Ofício – Reutilização de madeira para a confecção de móveis, esculturas e outros objetos de uso”, o qual parte do princípio de versar jovens indígenas em técnicas de reaproveitamento de madeiras para a confecção e comercialização de peças artísticas.

         A mostra reúne peças produzidas com madeira reaproveitada, confeccionadas por jovens indígenas dos povos Huni Kuin e Sawãdawa, nas Terras Indígenas Arara do Igarapé Humaitá, no município de Porto Walter; Kaxinawá da Praia do Carapanã, em Tarauacá; Kaxinawá do Rio Jordão, Kaxinawá do Seringal Independência e Kaxinawá do Baixo Rio Jordão, ambas situadas no Jordão.

          Quem não pôde comparecer à abertura, tem ainda até outubro para visitar a exposição, que fica aberta de segunda a sábado, das 10 às 19 horas e, aos sábados das 16 às 20 horas, na Casa dos Povos Indígenas, localizada na Rua Rui Barbosa, 17 – Centro – Rio Branco – AC (em frente ao estádio José de Melo). As peças estão disponíveis para venda e a preços variados.

 A entrada é gratuita!

Texto: Arlan Hudson
Fotografia: Mariana Silva

 

O Plano de Gestão

“Artes e ofício – reutilização de madeira para a confecção de móveis, esculturas e outros objetos de uso” é fruto do Convênio Nº 001/2017/PDSA II, celebrado entre a Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (AMAAIAC) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre (SEMA) e que conta com aporte financeiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).