AMAAIAC inicia 2015 continuando o trabalho das Oficinas nas Terras Indígenas do Acre

logo-petrobras-170pxA Associação do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (AMAAIAC) finalizou o ano de 2014 com a realização de oficinas em duas terras indígenas contempladas pelo Projeto Território Indígena, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. As atividades realizadas foram: Oficina de Sensibilização para a Gestão Territorial e Ambiental nas Terras Indígenas: Katukina/Kaxinawá e Katukina do Campinas. Neste ano de 2015 estão previstas a realização de mais duas oficinas em outras duas terras indígenas. Na Terra Indígena Yawanawa do Rio Gregório, a oficina acontecerá entre 14 e 28 de fevereiro e na Terra Indígena Mamoadate, está prevista para o mês de março.

As oficinas estão estruturadas em duas partes:  A primeira parte irá informar e debater sobre a AMAAIAC e a OPIAC (Organização dos Professores Indígenas do Acre), e a respeito da articulação das categorias para o fortalecimento da educação ambiental nas escolas indígenas. O número previsto de participantes é de 50 pessoas. Já no segundo momento, onde acontecem as atividades práticas, estão previstos 30 participantes dos povos Noke Koi, Huni Kuĩ, Ashaninka, Shawãdawa, Shanenawa e Yawanawa.

Entre as atividades da primeira parte da oficina estão: apresentação dos participantes e dos acordos de convivência; apresentação do histórico da AMAAIAC e da sua atuação; apresentação da diretoria atual da AMAAIAC e as ações que vem executando; descrição dos objetivos do Projeto Território Indígena nas 4 Terras Indígenas previstas; e a apresentação do convênio com a SEDENS (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis).

“É de grande importância a participação dos Agentes Agroflorestais Indígenas (AAFI) nesta parte, já que é um momento oportuno para a sua formação. Abordaremos a temática da segurança alimentar e da merenda escolar regionalizada, com o propósito de proporcionar mais qualidade de vida para as comunidades indígenas do Acre”, explica Francisca Oliveira de Lima Costa, coordenadora da OPIAC. “Conversaremos também sobre os critérios necessários para ser AAFI, o processo de continuidade do pagamento de suas bolsas, e o desafio para o reconhecimento da categoria profissional”, completa a liderança do povo Shawãdawa.

Na segunda parte da oficina serão realizadas as atividades práticas, como as visitas e os diagnósticos dos Sistemas Agroflorestais (SAFs) nas aldeias. Com o acompanhamento dos AAFIs e da comunidade, os participantes irão caminhar pelos SAFs, quintais, parques medicinais, hortas orgânicas, espaços para criação de animais domésticos e silvestres, roçados tradicionais, áreas de manejo do lixo inorgânico, e outras áreas de uso. Também serão realizadas atividades práticas de construção de viveiro, sementeiras e plantio de mudas de espécies frutíferas e florestais. “A proposta é dialogar com o Plano de Gestão Territorial e Ambiental da terra indígena e valorizar a ecologia indígena no processo de conservação ambiental, através do reconhecimento das práticas indígenas, e da utilização e conservação das sementes tradicionais”, explica Francisca Shawãdawa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>